segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O Irmão do Filho Pródigo

Havia um fazendeiro muito rico, que tinha dois filhos. Sempre tiveram tudo o que queriam e levavam uma vida sossegada. Certo dia o mais moço deles, foi até o pai e disse que queria a sua parte da herança, porque pretendia viajar pelo mundo a fora para conhecer outros lugares e viver a vida de maneira mais livre.
O pai daquele moço tentou destituí-lo da ideia de abandonar a família, mas seus argumentos foram em vão.
O rapaz estava mesmo decidido a sair de casa, então o pai não teve outra alternativa, senão lhe entregar a sua parte da herança. Então, em meio às lágrimas da família, o rapaz pegou uma mochila colocou nela o dinheiro e partiu.
Partiu para bem distante. E lá, longe da família, dos amigos, começou a viver dissolutamente, gastando seu dinheiro com mulheres, bebidas e tudo o que o dinheiro pode comprar. Mas, como tudo o que bom dura pouco, diz o ditado popular, o dinheiro daquele moço acabou e quando ele se deu conta, estava sem nenhum tostão, nem pra se alimentar.
Ele saiu, então, a procura de um trabalho, um lugar onde, ao menos, pudesse trabalhar em troca de comida e um canto pra dormir. O único lugar que encontrou, foi na fazenda de um criador de porcos. Ali ele cuidava dos porcos em troca de alimento pra si.
Mas, uma crise generalizada chegou àquele país e a escassez de alimentos também. Então, o fazendeiro o despediu, porque não tinha mais como continuar com ele no emprego. O rapaz disse que continuaria cuidando dos porcos se pudesse comer da comida deles. O fazendeiro concordou.
Certo dia, aquele rapaz parou pra pensar em sua vida, e se lembrou da fartura que sempre houve em sua casa, do carinho que sempre recebeu de seus pais, dos amigos que tinha, da vida abastada que sempre teve.
E ali, sentado próximo ao chiqueiro dos porcos, tomou a decisão mais importante de sua vida. Voltaria pra casa e pediria perdão ao pai, ainda que ele não o quisesse receber mais como filho, ao menos que o recebesse como um dos empregados da fazenda.
Levantou-se resoluto e partiu de volta pra casa.
Tempos depois, caminhando dias e dias, finalmente chegou à casa de seu pai. O já velho pai, ao vê-lo, chorou copiosamente e abraçou o filho maltrapilho e sujo. O rapaz, então, disse-lhe tudo aquilo que havia ensaiado durante dias e dias, ajoelhado aos pés do velho pai. O pai, como era de se esperar, perdoou ao filho e mandou que se preparasse um banquete pra comemorar a volta do filho tão amado que voltara ao seio da família.
A estas alturas, o filho mais velho daquele bom pai, voltava do campo, onde estivera durante todo o dia cuidando dos bois e vacas. Ao se aproximar da fazenda percebeu barulho de música e risos e gargalhadas que vinham da sede da fazenda. Estranhou aquilo, porque desde que seu irmão mais novo partira, nunca mais se ouvira música na fazenda.
Então, perguntou para um dos empregados o que significava aquilo, ele respondeu que seu irmão tinha voltado e que o pai o perdoara. A festa era pra comemorar a chegada do irmão.
Isso foi demais para o rapaz. Desceu do cavalo e foi furioso falar com o pai, e disse-lhe:
- Pai, como é que o senhor faz uma coisa destas? Seu filho te pede a parte da herança, acaba com tudo, volta e o senhor o recebe, como se nada tivesse acontecido?
Eu, que sempre fui fiel ao senhor, sempre trabalhei duro na fazenda, nunca te pedi um novilho pra festejar com meus amigos. Isto não é justo!
O pai, com voz emocionada, abraça o filho pelos ombros, e diz:
- Meu filho, você sempre teve tudo o que queria aqui na fazenda, todos os meus bens são seus, você poderia ter matado quantos novilhos quisesse. Poderia ter dado quantas festas quisesse. Mas hoje, era justo nos alegrarmos pela volta de seu irmão, que eu já julgava estar morto. Alegre-se comigo.

Moral: Muitas vezes, nos incomoda ver os outros serem abençoados, nos incomoda o sucesso dos outros, mas isso acontece porque estamos apáticos diante da vida e não nos esforçamos o bastante para receber as bênçãos de Deus. Deus é o Pai que está sempre pronto a nos perdoar e sempre disposto a nos abençoar. Basta pedir, basta bater.
Mateus 7:7 - "Pedi, pedi e ser-vos-á dado; batei, batei e ser-vos-á aberto, buscai e encontrareis."

Baseado na Parábola do Filho Pródigo: Lucas 15.

Carência de você

A noite hoje está quente e o sono fugiu.
Não sei ao certo porque da inquietação
que aflige o meu espírito.
Entretanto sei que o que mais me incomoda
é a sua ausência.
Você não está aqui
e meu coração desanda a doer, doer, doer...
Somos você e eu, eu em você,
você em mim.
Somos nós.
E nessa complementação do nós
você sem mim, eu sem você,
me sinto só.
Só na noite quente.
Meu corpo anseia pelo seu.
Seu corpo completa o meu.
Sua alma inspira a minh'alma.
Carente de você sempre serei.
Volta...
Vem completar meu ser,
Vem tirar-me dessa solidão,
Vem aquecer meu coração.
Eu sozinha não sou ninguém.
Amo você e pra sempre vou te amar.

domingo, 15 de novembro de 2009

Gratidão a Deus

O dia hoje amanheceu lindo!
Minha vontade era sair para caminhar por lindos campos floridos.
Mas os deveres da vida cotidiana me impediram de fazê-lo.
Então coloquei uma música legar e fui cuidar da vida.
Apesar de tudo, minha alegria de viver, graças a Deus, continua inabalável!
Sou grata a Deus por tudo o que Ele tem feito por mim,
sei que se não fosse por Ele eu não estaria vencendo esta batalha.
Obrigada, Jesus, por compartilhar seu amor comigo.
Obrigada pela vida!
Obrigada pelo Amor!

sábado, 14 de novembro de 2009

AS QUATRO VELAS

Quatro velas estavam queimando calmamente.
O ambiente estava tão silencioso que podia-se ouvir o diálogo que tratavam...
A primeira disse:
- Eu sou a paz. Apesar da minha luz, as pessoas não conseguem manter-me, acho que vou apagar.
E diminuindo devagarinho, apagou totalmente.
A segunda disse:
- Eu me chamo . Infelizmente sou muito supérflua. As pessoas não querem saber de Deus. Não faz sentido continuar queimando.
Ao terminar sua fala, um vento levemente bateu sobre ela, e esta acabou se apagando.
Baixinho e triste a terceira vela se manifestou:
- Eu sou o amor. Não tenho mais forças para queimar. As pessoas me deixam de lado, só conseguem se enxergar, esquecem-se até daqueles à sua volta que lhes amam.
E sem esperar mais nada, apagou-se.
De repente... Entrou uma criança e viu as três velas apagadas.
- Que é isto? Vocês deviam queimar e ficar acesas até o fim.
Dizendo isso, começou a chorar.
Então a quarta vela falou:
- Não tenhas medo, criança... Enquanto eu ainda queimar, podemos acender as outras velas... Eu sou a esperança!
A criança com os olhos brilhantes pegou a vela que restava e acendeu as demais...

"Que a vela da esperança jamais se apague dentro de nós."
autor desconhecido - texto recebido por email.

Sugestões para apresentação deste texto:
1. Faça quatro velas, sendo uma em cada folha de sulfite de tamanhos diferentes e abaixo coloque o texto correspondente.
2. Faça as velas com papel color set, EVA ou feltro com o texto respondente abaixo e como trabalho manual, peça para as crianças pintar, recortar e montar a vela.
Após a montagem afixe algum versículo que fale sobre a esperança.

fonte: http://divartes.blogspot.com

ALFABETO CRISTÃO

Amar a Deus sobre todas as coisas. Buscá-lo de todo coração. Clamar e orar pelo próximo Devolver os dízimos para a obra do Senhor. Estar sempre em comunhão com Deus. Fugir das impurezas e idolatrias.Guardar a Palavra de Deus em seu coração, meditar e praticar. Hinos de louvores cantarás ao Senhor. Ir freqüentemente à igreja.Jejuar e orar para se santificar. Ler a Bíblia diariamente. Meditar na Palavra de Deus. Não murmurar; crêr somente. Orar sem cessar. Pregar o evangelho à toda criatura. Querer aprender sempre mais de Deus, e sobre Ele. Render graças ao Senhor em todo tempo e todas as circunstâncias. Servir ao Senhor e ao próximo com amor. Tornar-se padrão de boas obras. Ungir os doentes em nome do Senhor. V iver pela fé. Xeretar e xingar, nem pensar. Zelar pelas coisas de Deus.

autor do texto desconhecido

Sugestões para uso do texto:

Essa é uma forma divertida de falar sobre várias coisas importantes com relação a Deus, ao nosso comportamento e sentimento. Em uma folha de sulfite, faça cada letra do alfabeto e em outra coloque o texto correspondente. Vá expondo as letras e abaixo anexe a folha com o texto, dê exemplos do dia-a-dia e referências bíblicas.
Se as crianças não souberem ler, cole uma gravura, foto ou desenho cujo o nome comece com a respectiva letra e anexe o texto abaixo.

Como lembrancinha, dê um quebra-cabeça de EVA com as letras do alfabeto ou imprima a folha com as letras e os animais para as crianças colorir.


fonte: http://divartes.blogspot.com

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DISTÂNCIA

Amor,
hoje você está distante,
sinto a falta do seu olhar,
do seu calor, das suas mãos,
mas a distância não tira de mim
a lembrança suave
do seu carinho, seu amor.

Você está distante,
mas sua presença não precisa ser física
para ser real.

Recordações vêm à minha mente
e posso até sentir sua respiração,
seu perfume, seu toque.

Sua falta me incomoda,
mas seu amor e carinho
me confortam.

Sinto-me só,
mas breve seu regresso
aliviará essa carência
e seremos novamente um.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

NOSTALGIA

Vejo retratos, sinto cheiros...
Saudades de tudo que marcou a minha vida .
escuto uma voz, me lembro do passado,
sinto saudades...
Saudades de amigos que ficaram no passado,
de pessoas com quem não mais falei.
Saudades da minha infância,
do meu primeiro amor,

Saudades do presente, que não vivo por inteiro,
lembrando do passado e imaginando no futuro...

Saudades do futuro
brilhante, se Deus quiser...
Saudades de quem me deixou,
Sinto saudades dos que partiram
,
daqueles que não se despediram de mim,
de coisas que tive e de outras desejei.
Sinto saudades de coisas importantes,
de coisas frívolas.

Sinto saudades do meu cão,amigo sempre fiel,
dos livros que li e que me fizeram viajar,
dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar,

Talvez tudo isso não exprima o que realmente sinto.
Mas SAUDADE é a palavra que uso,
sempre que sinto este aperto no peito,
Isto prova que somos sensíveis,
que amamos muito do que pensamos.

Sentir saudade, é estar viva!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

BRISA

A brisa gelada desta manhã
leva meus pensamentos para longe.
Uma lembrança doce da infância
preenche minha lembrança.

O olhar distante busca algo
que ficou no passado,
em meio ao emaranhado de imagens.

Sinto uma forte emoção
invadir meu coração,
trazendo uma grande saudade
das coisas que vivi.

Os pássaros cantam,
as árvores balançam,
e eu...
Eu continuo
inebriada pelas
lembranças.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

AMOR

A vida que hoje tenho
é cheia de alegria
pois um dia te encontrei.
Teu carinho, dedicação e amor
transformaram meu mundo vazio
e trouxeram alegria de viver.

Sinto tua presença em mim,
mesmo quando estás distante.
Tenho por ti um imenso amor
que somado ao respeito,
criam laços pra eternidade.

Amo-te, e te amarei para sempre.
Mesmo quando meus cabelos embranquecerem
E os anos me tirarem o vigor.

Amo-te, eternamente.

domingo, 1 de novembro de 2009

Saudade

Sinto uma saudade
saudade de quem se foi
saudade do que se foi
saudade do que deixou.

Sinto saudade até
das marcas deixadas
na minha pele
dos momentos de paixão.

Sinto saudade também
do cheiro e do sabor
dos beijos e dos abraços
do corpo e do calor.

Saudade...